Rússia lança sonda para buscar amostra de lua de Marte

Fonte: Redação do Site Inovação Tecnológica

Phobos-Grunt significa “solo de Fobos”, uma referência ao principal objetivo da sonda espacial, que é coletar e trazer de volta à Terra amostras da lua Fobos, de Marte. [Imagem: Roscosmos]

Atualização 2 – 09/11 14h45

Em nota, a Roskosmos informou que a telemetria indica que a sonda está em uma órbita que deverá se manter estável por duas semanas, o que ampliaria a janela para que os comandos de reinício da missão fossem transmitidos à nave.

A primeira tentativa de reinicialização será feita nesta quinta-feira, 10, entre 20h00 e 23h00, no horário de Brasília.

Especialistas argumentam que não se pode esperar muitas tentativas, uma vez que o arrasto atmosférico ao longo dos próximos dias poderia trazer a Phobos-Grunt para uma órbita baixa demais, tornando seu combustível insuficiente para continuidade da missão.

Atualização 1 – 09/11 08h00

Depois de entrar em órbita, a sonda não conseguiu estabelecer sua própria localização de forma automática, com base nas estrelas, o que impediu o acionamento dos motores para seu primeiro impulso rumo a Marte.

Contudo, como ela se encontra em uma órbita estável, os controladores têm três dias para atualizar o software e tentar corrigir a falha, sem perder a janela de lançamento.

Novas atualizações serão publicadas conforme a situação se modifique.

Notícia original


Solo de Fobos

A Rússia acaba de lançar a sonda Phobos-Grunt rumo à lua Fobos, de Marte.

O nome da missão, Phobos-Grunt, significa “solo de Fobos”, uma referência ao principal objetivo científico da sonda espacial, que é coletar e trazer de volta à Terra amostras da lua Fobos.

A missão marca também a estreia da China no chamado “espaço distante” – além da nossa Lua: a sonda leva a bordo o pequeno satélite chinês Yinghuo-1, que irá se separar da Phobos-Grunt e passar dois anos observando Marte.

Os cientistas levantam duas hipóteses sobre a origem de Fobos: a primeira é que a lua é um asteroide vindo do cinturão de asteroides entre Marte e Júpiter, tendo sido capturada pela gravidade do planeta.

Outros, contudo, acreditam que Fobos seja um pedaço ejetado de Marte pelo choque de asteroides, algo que deve ter ocorrido há cerca de 4 bilhões de anos.

A missão poderá finalmente decidir quem tem razão.

Amostras da lua de Marte

Apesar de a Rússia não ter tido sorte em suas tentativas anteriores de explorações além da Lua, a missão é uma pechincha em comparação com projetos da NASA e da ESA: cerca de US$160 milhões.

O projeto é uma herança das sondas Luna, que trouxeram amostras da Lua nos anos 1970 – embora todos os equipamentos sejam novos e atualizados.

A Phobos-Grunt pesa 13,5 toneladas, mas seus equipamentos científicos se restringem a 50 quilogramas.

Espera-se que a missão consiga trazer 200 gramas de “solo” de Fobos – essencialmente poeira de rochas – de volta à Terra.

Se tudo correr bem – e especialistas argumentam que a missão tem muitos riscos associados com cada fase de sua operação – a Phobos-Grunt deverá chegar a Marte em Outubro de 2012, pousando em Fobos em Fevereiro de 2013.

Os esperados 200 gramas de poeira da exolua deverão chegar de volta à Terra em Agosto de 2014.

Depois de despachar de volta a tão esperada amostra, o restante da sonda Phobos-Grunt continuará na superfície de Fobos, coletando dados e transmitindo-os à Terra. [Imagem: Roscosmos]

A missão continua

As amostras coletadas permitirão tanto uma datação da lua quanto testar a teoria de sua origem como material ejetado de Marte.

Alguns cientistas estão particularmente interessados na eventual identificação de alguma matéria orgânica, embora seja uma hipótese muito improvável – mesmo na hipótese de ser um pedaço arrancado de Marte, seriam rochas ígneas, com pouca concentração de uma eventual matéria orgânica presente na superfície do planeta na época.

Depois de despachar de volta a tão esperada amostra, o restante da sonda Phobos-Grunt continuará na superfície de Fobos, coletando dados e transmitindo-os à Terra.

Os equipamentos científicos incluem vários espectrômetros e cromatógrafos, além de gravímetro, sismógrafo, termodetector e radar.

Para saber detalhes a respeito da perfuratriz espacial, responsável por coletar as amostras do solo de Fobos, veja a reportagem:

Nave russa vai buscar amostra da lua de Marte

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: