Adaptações do corpo no espaço.

Viver no espaço não é a mesma coisa do que na Terra. Por mais que os astronautas mantenham uma rotina parecida com a nossa – eles também dormem, comem, fazem xixi, limpam a casa e trabalham -, muitas coisas são diferentes lá em cima, já que o corpo humano sofre graves alterações. Andrew Feustel, por exemplo, descobriu que os astronautas não podem chorar. Pelo menos, não no espaço. Durante uma caminhada espacial, em 2011, um pouco de sabão entrou no seu olho e começou a irritar o órgão, o que o fez chorar muito. O problema é que “as lágrimas no espaço não rolam pelo rosto. Elas, simplesmente, se aglomeram no seu olho e machucam”, explica

Apesar de os hábitos de higiene no espaço serem os mesmos dos da Terra, os astronautas têm um pouco mais de trabalho para ficarem limpos. Como não há pia na Estação Espacial Internacional (ISS, na sigla em inglês), os astronautas podem escovar os dentes em qualquer lugar da plataforma, mas só podem cuspir a pasta em uma toalha absorvente. Já para tomar banho e lavar as mãos (foto), eles usam uma esponja e uma espécie de sabão e xampu líquidos especiais, acondicionados em sacos, que limpam o corpo e o cabelo sem precisar de água. É só esfregar a mão nessa bola de sabão líquido, espalhar com a esponja e depois enxugar na toalha.

Os astronautas precisam se exercitar todos os dias, sem falta nem preguiça. Como as pernas carregam todo o peso de uma pessoa, elas fortalecem os ossos e os músculos do corpo humano. Mas isso não acontece no espaço, já que os astronautas flutuam e não usam seus membros inferiores para se movimentar – o que faz com que os astronautas tenham problemas de perda óssea e fraqueza muscular. Acima, a astronauta Sunita Williams, da Nasa (Agência Espacial Norte-Americana), mostra os músculos depois de correr em um equipamento que a deixa ‘presa’ no chão.

Quando os astronautas voltam à Terra, eles não conseguem fazer muito esforço – nem mesmo para limpar o suor da testa, como o norte-americano Daniel Burbank depois de pousar no Cazaquistão, em abril de 2012. Como o sangue e a água se depositam na cabeça do astronauta, o cérebro pensa que há muitos fluidos no corpo e manda diminuir a produção. Durante o período sem gravidade no espaço, os astronautas não sentem muito os efeitos, mas na volta à Terra, isso os deixa bastante fracos.

Para ninguém sair flutuando pela Estação Espacial Internacional (ISS, na sigla em inglês) no meio da noite, os tripulantes vão para seus pequenos quartos e dormem, geralmente, em pé dentro de um saco grudado na parede da cabine, assim como o astronauta Chris Hadfield (foto), da Agência Espacial Canadense. Mas eles também têm a opção de dormirem sentados no banco do piloto ou do comandante da ISS.

A comida chega ao espaço totalmente desidratada para ficar mais leve e fácil de ser armazenada. Ao longo do dia, os seis astronautas da atual missão 34 da Estação Espacial Internacional (ISS, na sigla em inglês) podem degustar cereal com leite em pó, café e suco de frutas direto do canudinho, um típico café da manhã espacial (acima, à esquerda); saborear um jantar completo dentro de uma lata (abaixo, à direita); além de pesticar tortilas e pãezinhos pretos que voam pela ISS.

O banheiro da Estação Espacial Internacional (ISS, na sigla em inglês) pode não ter a decoração mais bonita da Terra, mas é a mais eficiente para os astronautas no espaço. O cômodo funciona com ventiladores potentes que sugam o ar e a sujeira até um dos tanques de lixo da ISS. Os homens fazem xixi em pé, mas dentro de um funil (tubo cinza) que é conectado à privada toda vez que alguém fica apertado. Para usar o assento, eles têm de se segurar nas barras da parede ou colocar pesos sobre as coxas para não ‘flutuar’.

A limpeza é tão importante quanto a produção de estudos científicos dentro da Estação Espacial Internacional (ISS, na sigla em inglês). Eles limpam as paredes, as janelas e o chão da plataforma com sabão bactericida, que dispensa o uso d’água, e usam lenços umedecidos para lavar os talheres e bandejas. Além disso, eles têm de passar aspirador (à direita) para evitar que bactérias se alastrem pela ISS e contaminem todos a bordo. A única parte fácil da faxina é a parte de arrastar os móveis: na gravidade zero, qualquer objeto é facilmente carregado (à esquerda) Chris Hadfield

Esta é uma compilação da legenda de várias fotos que contam um pouco sobre a vida do astronauta no espaço. Se você quiser vê-las na íntegra, basta visitar: http://noticias.uol.com.br/ciencia/album/2013/02/08/corpo-humano-altera-no-espaco-entenda.htm#fotoNav=1

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: