Premio para quem inventar um tricorder caseiro

Fonte: TrekBrasilis

tricorderEm 2012, a Fundação X PRIZE e a empresa de comunicações Qualcomm, inspiradas em grande parte por Jornada, lançaram um concurso que premiará com 10 milhões dólares qualquer pessoa ou equipe que conseguir desenvolver uma versão móvel e prática do Tricorder ficcional de Jornada, para que pessoas comuns possam usar em casa, sem auxílio médico. A competição continua e o Star Trek.com conversou com um especialista.

 

A missão dos concorrentes é criar um aparelho móvel que consiga diagnosticar pelo menos 15 doenças diferentes, além de ser capaz de medir comportamentos básicos da nossa saúde – saturação de oxigênio, pressão, temperatura, frequência cardíaca, entre outros. As inscrições encerraram em agosto e o prêmio deve ser entregue em junho de 2015.

A entrevista foi feita com o  Dr. Erik Viirre, Diretor Técnico/Médico e coordendor do evento.

Quem, na verdade, surgiu com a idéia de usar Jornada e o dispositivo Tricorder como a inspiração para esta competição?

DR. Viirre: No início de dezembro de 2010, Peter Diamandis, presidente e CEO da XPrize, reuniu-se com Don Jones, vice-presidente de estratégia global e desenvolvimento de mercado para a Qualcomm Life. Durante essas conversas a coisa do prêmio começou a tomar forma rapidamente. Don viu como o prêmio conceitualmente levaria ao desenvolvimento de um dispositivo semelhante ao famoso Tricorder, e iniciou uma reunião com Paul Jacobs, presidente e CEO da Qualcomm e presidente da Fundação Qualcomm. Paul Jacobs imediatamente viu o valor potencial da competição. A Fundação Qualcomm concordou em patrocinar a competição, permitindo que o Tricorder XPrize se tornasse uma realidade, que culminou com o lançamento da Qualcomm Tricorder XPrize na Consumer Electronics Show, em janeiro de 2012. Com a licença da CBS, o conceito e o nome foi um enorme impulso para a competição, porque a tecnologia deslumbrou os fãs da série, mas a licença fez muito sentido por causa da influência tecnológica da série e suas idéias.

O concurso foi anunciado em 2011 e iniciado em 2012. Que tipo de reação tem chegado por parte da comunidade científica?

DR. Viirre:  Imediatamente, após a discussão do conceito do prêmio, houve grande interesse médico, científico e tecnológico. Médicos cientistas, médicos e engenheiros de renome mundial se reuniram para colocar o projeto em conjunto. Nosso melhor exemplo desse interesse foi o anúncio formal pela FDA (órgão governamental dos Estados Unidos responsável pelo controle dos alimentos) que daria suporte para o nosso prêmio. Isto, junto com tantos outros parceiros da ciência e tecnologia, significa que estamos à beira de um evento que mudará o mundo. Sabemos que os fãs de Jornada estão predominante em organizações como a NASA, mas as escolas médicas e de bioengenharia estão cheias de fãs que queriam trazer a tecnologia de Jornada para o século 21.

Para o seu conhecimento, quantas empresas ou equipes estão disputando o prêmio?

DR. Viirre:   A partir de hoje, há 41 equipes inscritas de 9 países para a competição.

Para fazer este trabalho, o dispositivo precisa combinar saúde, tecnologias / inovações de um móvel e sem fio. Então, você está vendo as empresas realmente unindo forças para colaborar com esse projeto? São divisões dentro das empresas se unindo? 

DR. Viirre: Nós acreditamos que a colaboração entre empresas, universidades será necessário para ganhar o prêmio. Todos os requisitos são tecnicamente viáveis ​​agora, mas a vasta gama de capacidades necessárias para vencer significa muito pouco, as entidades terão tudo por conta própria. A colaboração é uma obrigação.

Qual é o cronograma a partir daqui? A inscrição está encerrada, então, quais são os próximos passos?

DR. Viirre:   As equipes têm de estar trabalhando com cuidado agora para serem capazes de competir na fase de qualificação e nas finais. No inverno de 2014, elas vão apresentar a documentação de suas tecnologias propostas, como medir sinais vitais, avaliar as condições de saúde e envolver todos os sistemas em uma plataforma móvel utilizável. A enorme diferença entre os tricorders da competição e da série é que você não vai precisar do Spock e nem do Dr. McCoy para entender como usá-lo. Esses aparelhos serão construídos para o consumidor médio.

Na primavera de 2014 um painel de jurados especialistas irá rever os planos propostos das equipes. Dez finalistas serão selecionados e notificados de que podem construir um hardware que será testado usando pessoas reais. Esses testes serão feitos no inverno e na primavera de 2015.

O vencedor é escolhido … então o quê?Como é que o avanço do produto a partir do protótipo para a realidade? Como isso rapidamente pode ser alcançado? E qual é o seu palpite de como torná-lo acessível à pessoa comum?

DR. Viirre:  Competindo para o nosso prêmio, todas as equipes terão um longo caminho para serem capazes de obter as tecnologias de seus laboratórios e em frente a comunidade médica e o público em geral.Diferentes países têm diferentes requisitos regulamentares, mas porque a nossa concorrência é baseada nos EUA e o regulador mais importante é a FDA, as equipes terão que determinar cuidadosamente como ter seus sistemas aprovados. O FDA está extremamente interessado nesta nova área de tecnologia e é um parceiro ativo no aconselhamento dos nossos competidores. Algumas equipes vão construir sistemas para os EUA e outras para outros países. Se as equipes seguirem o aconselhamento adequado e tendo a sua papelada pronta, então elas ainda terão alguns meses de testes e apresentações para obter as aprovações que precisam após a competição se encerrar. Acreditamos que, com os telefones móveis inteligentes agora, dezenas de milhões destes sistemas serão vendidos, mesmo nos primeiros anos. Não só os consumidores, mas os governos e as seguradoras vão ver a enorme melhoria nos cuidados da saúde que virá a partir de dispositivos do tipo Tricorder, e esses números irão garantir um preço justo para todos.

Você é fã da franquia? Qual é a sua parte favorita da Treknologia? 

DR. Viirre: Eu sou um fã de longa data de Jornada. Eu assisti a série original quando estava na escola e posso dizer-lhe qual é o episódio em 10 segundos. Eu vou conseguir levar meu próprio Tricorder agora, e vou ter tecnologia do XPrize embutida. Eu conheci a maioria do cenário da ponte da 1701C, incluindo o Capitão Kirk, Sr. Spock, Uhura, e o Sr. Sulu. Infelizmente, eu nunca cheguei a conhecer DeForest Kelley. No entanto, este ano tive alunos de engenharia que construíram uma réplica da cama da ala médica da Enterprise, para a investigação médica real. O monitor da enfermaria que poderia medir o funcionamento do seu corpo tão logo você se deitasse na cama era a minha treknologia favorita, e eu estou construindo isso!

Conforme informação do site oficial Tricorder XPRIZE, existe uma equipe de Curitiba na competição, mas por questões de sigilo não são divulgados os nomes. Boa sorte a todos.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: