Político usa linguagem de ‘Jornada nas Estrelas’ em pedido de demissão

Fonte: Portal G1

Político David Waddell usou linguagem de 'Jornada nas Estrelas' em pedido de demissão (Foto: Reprodução/Indian Trail City)Político David Waddell usou linguagem de ‘Jornada nas Estrelas’ em pedido de demissão (Foto: Reprodução/Indian Trail City)

Um político da Câmara de Vereadores de Indian Trail, no estado da Carolina do Norte (EUA), usou a linguagem Klingon (da saga “Jornada nas Estrelas”) parar pedir demissão.

David Waddell disse que mandou a carta na linguagem Klingon como uma “brincadeira interna”. O prefeito Michael Alvarez criticou a piada e disse que a carta é antiprofissional.

Waddell afirmou que pretende renunciar ao cargo até o final deste mês. Seu mandato de quatro anos terminava em dezembro de 2015.

Morreu Joseph Ruskin

Fonte: TrekBrasilis

Joseph RuskinMorreu o ator Joseph Ruskin. Ele já encarnou uma meia-dúzia de personagens em Jornada. O ator tinha oitenta e nove anos e morreu de causas naturais.

Ruskin apareceu em quase todas as séries da franquia (exceto A Nova Geração): na série original: ”The Gamesters of Triskelion”; Deep Space Nine: “The House of Quark”, “Improbable Cause” ; Voyager: “Gravity”, Enterprise: “Broken Bow”.

Ruskin também teve um papel no filme Star Trek: Insurreição, além de dar sua voz para os games Star Trek: Hidden Evil e Star Trek: Away Team. Tirando Jornada, Ruskin tem participações em The Magnificent Seven, The Twilight Zone, The Time Tunnel , Planet of the Apes. Ele já trabalhou com J. J. Abrams em Alias.

Ben Stiller mostra seu lado trekker

Fonte: TrekBrasilis

ben-stillerO ator comediante e diretor Ben Stiller se diz um fã de Jornada nas Estrelas. Ele apareceu no especial de televisão “Star Trek: 30 anos” e frequentemente faz referência a série original em seu trabalho. Sua empresa Red Hour Productions é uma homenagem ao episódio “The Return of Arcontes”, sem contar que é um grande colecionador de acessórios da franquia. Recentemente ele teve seus conhecimentos de trekker testados num programa de TV.

Ben Stiller nunca negou ser um fã de Jornada. O ator de Uma Noite no Museu, durante a premiação do Oscar, confessou à plateia, “Eu deveria ter usado as minhas orelhas de Spock”.

A razão disso é que ele possui alguns pertences originais da série, “Eu tenho dois pares de orelhas da série original, ambos assinados por Leonard Nimoy”.

Dois pares de orelhas de borracha, usados ​​por Nimoy como o personagem Spock, foram vendidos no leilão da Christie em novembro de 2000. Os pares foram assinados pelo próprio Nimoy. Se Stiller possui os mesmos do leilão ou se foi uma doação do ator, ninguém sabe.

Durante o programa de TV The Ellen DeGeneres Show, Stiller foi presenteado com um conjunto de cuecas coloridas contendo a insígnia da Federação e inscrições como “Beam Me Up Scottie”, “Trekkie”, entre outros.

stiller kirkNos anos 90, Stiller chegou a produzir o The Ben Stiller Show, onde ele fazia muitas caracterizações bem-humoradas de personagens conhecidos. Em um de seus episódios ele fez uma representação satírica de William Shatner como capitão Kirk.

No recente programa de Josh Horowitz, Stiller teve seus conhecimentos de trekker testados.

O ator respondeu sobre Mark Lenard, Joan Collins em “Cidade à Beira da Eternidade”, “Where no Men Has Gone Before” piloto da série.

Outras curiosidades sobre Stiller e sua relação com Jornada:

Um clipe do episódio “Arena” foi mostrado em seu filme Tropic Thunder.

No filme Zoolander, Stiller dá o nome ao vilão de “Mugatu” (criatura de A Private Little War).

No filme O Pentelho, onde Stiller foi diretor, apresenta uma cena em que Chip e Steven duelam nos tempos medievais, Chip (Jim Carrey) canta a música de batalha do episódio “Amok Time” e cita várias linhas do mesmo episódio.

Kirk encontra Sete de Nove em romance

Fonte: TrekBrasilis

A Simon & Schuster e a Pocket Books já anunciaram seu próximo romance de Jornada para 2014. A aventura ambientada na série original e intitulada No Time Like the Past terá um incrível crossover, o encontro do capitão Kirk e a ex-borg, Sete de Nove. A história foi escrita por Greg Cox e o lançamento está previsto para 25 de fevereiro.

 

Data Estelar 6.122,5 . A missão diplomática ao planeta Yusub irrompe em violência quando invasores cruéis de Orion tentam atrapalhar as negociações cruciais pela força. Apanhado no meio de uma situação tensa e perigosa, o Capitão James T. Kirk da USS Enterprise encontra um aliado inesperado na forma de um estranho enigmático que se chama “Annika Sete”.

Data Estelar 53.786,1 . Sete de Nove está tomando parte em uma expedição arqueológica em um planetóide obscuro no Quadrante Delta , quando uma série de eventos desastrosos colocam a equipa visitante da Voyager em perigo – e transportam Sete através do tempo e do espaço para Yusub, onde ela ficará cara-a-cara com uma das maiores lendas da Frota Estelar .

Data Estelar 6.122,5 . Kirk sabe melhor do que ninguém do perigo que até mesmo um único náufrago do futuro pode representar para a linha do tempo, para que ele e Sete embarquem em uma missão perigosa para devolvê-la a sua própria época. Mas há outros que anseiam o conhecimento que Sete possui, e eles não irão parar até obtê-lo – mesmo que isso signifique assumir o controle da Enterprise.

Greg Cox tem  inúmeros romances e contos que figuram na lista dos best-sellers do New York Times. Ele escreveu as novelizações dos filmes O Demolidor, Motoqueiro Fantasma, Death Defying Acts, e os três primeiros filmes de Anjos da Noite, bem como livros e histórias baseadas em séries populares como Alias, Buffy the Vampire Slayer, CSI, Farscape, The 4400, The Green Hornet, The Phantom, Roswell, O Exterminador do Futuro, Warehouse 13, Xena: Princesa Guerreira, Zorro, dentre outros.

Star Trek: The Original Series: No Time Like the Past é um romance de bolso, contem 400 páginas, e estará disponível tanto como um livro de bolso como e-book. Pode fazer para pré-encomenda na Amazon.com.

Antimatéria nos moldes de Jornada pode existir

Fonte: TrekBrasilis

warp coreOs cientistas estão desenvolvendo um teste para antigravidade que pode revolucionar a física e mudar a nossa forma de entender o universo.  Todo fã de Jornada sabe que a antimatéria é o combustível que permite a Enterprise impulsionar entre as estrelas. Mas agora os cientistas acreditam que podem ter chegado a um passo de investigar a antimatéria e a teoria de que ela é capaz de mover-se contra a gravidade.

Físicos do CERN (Organização Europeia para a Pesquisa Nuclear) estão usando uma garrafa magnética especial para produzir e armazenar átomos de anti-hidrogênio, ou de antimatéria.

O plano da equipe CERN é ver se os átomos “caem para cima”. Neste caso, dizer que eles “caem para cima” não é absurdo. O fenômeno ocorre porque a antimatéria gera um campo antigravitacional, pois tem carga oposta à da matéria convencional. Por este motivo, ambas se aniquilam quando entram em contato. Se os átomos vão para cima, em vez de para baixo com gravidade, os cientistas descobrirão novas propriedades gravitacionais da antimatéria e toda a teoria da física pode ser transformada.

O Professor Jeffrey Hangst, chefe da equipe de construção do experimento Alpha-2 no Cern, disse ao Sunday Times: “Em termos simples, se colocarmos a antimatéria em um campo gravitacional como o da Terra, ela cairá para cima ou para baixo?”

A teoria de que a antimatéria pode criar um campo anti-gravitacional que repele qualquer coisa ao seu redor, poderia ser usado para impulsionar aviões sem utilizar quase nenhum combustível ou naves em viagens espaciais, como as da série Jornada nas Estrelas.

É extremamente difícil conseguir criar e preservar formas complexas de antimatéria, já que ela é muito instável e, ao interagir com as partículas convencionais, ambas se anulam, resultando numa profusão de energia. Os pesquisadores do CERN estão utilizando um recipiente magnético especial para preservar os átomos de anti-hidrogênio criados. A ideia é ir enfraquecendo aos poucos o campo magnético – se os átomos contrariarem a gravidade terrestre e “caírem para cima”, ficará comprovado que se tratam de antimatéria.

O aprofundamento nos estudos e experimentos envolvendo a substância são particularmente interessantes para a exploração espacial. Até agora, é de longe o método mais eficiente conhecido com a possibilidade de nos levar até as estrelas.

Game Star Trek Trexels para iPhone e iPad

Fonte: TrekBrasilis

Star Trek TrexelsO Game Cube, YesGnome e a LLC se uniram para apresentar Star Trek Trexels, um jogo para celular que permite ao usuário de iPhone, iPad e iPod se alistar na Frota Estelar e a comandar sua própria nave. O jogo é definido dentro do universo original de Jornada e contará com personagens e locais, tanto da série original quanto de A Nova Geração.

“A USS Valiant foi destruída por um atacante desconhecido, e a Frota escolheu você para continuar a sua missão em uma área misteriosa do espaço conhecida como Expansão Trexelian. Construa sua nave, escolha sua equipe, marque o destino da Valiant, e explore a vastidão em nome da Federação”. Este é o anuncio da YesGnome sobre o game.

Star Trek Trexels possui gráfico 8-bit, interface LCARS ao estilo A Nova Geração, capacidade 49 MB. Também é compatível com o iPhone 5.

De acordo com os criadores do jogo, ele colocará você frente a frente com inimigos antigos e novos aliados surpreendentes em uma região inexplorada do espaço. Ao longo do caminho, você encontrará personagens familiarizados com a série original e A Nova Geração, bem como novos aliens, tripulantes e planetas. O jogo também apresenta a música da série original, uma interface de usuário com base no sistema Biblioteca de acesso e tendo o George Takei servindo como narrador.

a trexels

“Nós estamos realmente inspirados no espírito da série original, especialmente no sentido de exploração e aventura,” disse Craig Bolin, Designer Sênior da YesGnome, em um comunicado. “Nosso objetivo não era apenas para dar aos jogadores a oportunidade de construir e personalizar suas próprias naves, mas a chance de viajar através de toda uma galáxia de novos mundos e civilizações estranhas”.

USE-TREXELS_SCREEN_iPad

“Estamos animados que os fãs venham a experimentar o universo de Jornada em toda a sua glória pixelizada “, disse Erika Winterholler, Diretora de Jogos para a CBS Interactive, “Acreditamos que com a música da série original, narração de George Takei, e clássicos cenários, Trexels irá trazer uma autêntica experiência para os fãs de Jornada nos dispositivos móveis”.

Motor para “dobra espacial” é possível e viável

Fonte: ViAki

Físico confirma que motor para “dobra espacial” é possível e viável
Modelos do equipamento já estão sendo testados em miniatura para comprovar a teoria

dobra-espacial-viuaki

Quem é fã de filmes de ficção científica com certeza já deve imaginar no que implica um motor para dobra espacial: com ele, seria possível viajar pelo espaço em velocidades muito maiores que a da luz. Isso se colocarmos tudo em termos bem simples, já que quem realmente seria acelerado é o próprio espaço e não o equipamento que realizaria a viagem. Complexo? Bastante, mas completamente possível também, segundo o físico Harold White.

Ele apresentou um modelo teórico para um motor de dobra possível e viável para ser construído e operado pelo homem. Na verdade, ele realizou diversos cálculos para resolver problemas da sua teoria anterior, que também trabalhava na ordem da aceleração do espaço, mas requeria quantidades realmente astronômicas de energia e massa. Estamos falando do equivalente a massa de Júpiter para criar o dito motor! Agora, com a teoria atualizada, o valor foi reduzido para menos de 800 kg.

Como isso poderia funcionar

De acordo com White, para criar um motor de dobra seria necessário posicionar um objeto esferoide no meio da nave espacial e fazer um anel se movimentar em volta dele de determinada maneira que pudesse contrair e expandir o espaço à sua volta, gerando uma bolha de dobra ao redor da espaçonave. O conceito é praticamente o mesmo — se visto de forma bem simples — que o presente em uma diversidade de obras de ficção científica do cinema, da TV e da literatura.

Físico confirma que motor para

Espaço-tempo seria acelerado para facilitar a viagem espacial (Fonte da imagem: Reprodução/io9)

Essa bolha de dobra seria capaz de movimentar o espaço em volta da nave, como se ela estivesse passando através de algo muito apertado. Assim, o movimento de expansão do espaço atrás da bolha seria o responsável por movimentar a nave a velocidades incríveis.

Fora isso, como a bolha de dobra posicionaria a nave em alguma situação “nas entranhas do espaço”, as leis da relatividade de Einstein não se aplicariam diretamente. Isso porque, diretamente, nada pode superar a velocidade da luz, mas o espaço pode se comprimir e expandir a qualquer velocidade, tornando a prática da dobra praticamente ilimitada.

White explica ainda as limitações práticas do seu modelo anterior, comentando sobre a rigidez do espaço. “O espaço-tempo é bem rígido/firme, então para criar a o efeito de expansão e contração de forma útil a fim de conseguirmos atingir destinos interestelares em uma quantidade de tempo razoável, seria necessário uma grande quantidade de energia”.

Como o motor se tornou viável

Para criar a solução para esse problema, White tentou realizar uma alteração no modelo de motor de Alcubierre, no qual tinha baseado sua primeira ideia. Em volta do objeto esferoide, seria necessário que um anel permanecesse girando. Alcubierre, entretanto, imaginou esse elemento como um cinto, um anel chato. Então, White teve a ideia de melhorar a forma desse elemento, tornando-o mais grosso, quase como uma rosquinha, no formato que aparece no modelo.

Foi com isso que os cálculos da quantidade de energia e massa do motor pularam do tamanho de Júpiter para 800 kg, o equivalente à sonda Voyager 1, que explorou o Sistema Solar nos últimos anos.

Físico confirma que motor para

Modelo alterado por White diminui a necessidade de massa. (Fonte da imagem: Reprodução/io9)

Resultados práticos

Todo esse trabalho feito por White baseado nas ideias de Alcubierre resultaria em velocidades incríveis de dobra. Nada comparado ao que víamos em Star Trek, em que a tripulação da USS Enterprise chegava a seus destinos em questão de segundos. Mas os resultados são bastante aceitáveis, já que poderíamos alcançar a estrela mais próxima do Sol em questão de semanas. Com isso, ir para Marte poderia ser como atravessar a rua em uma nave com um motor baseado nas ideias de White.

Além do mais, a viagem com o motor de White seria bastante precisa. Os ocupantes de uma espaçonave equipada com ele experimentariam uma sensação de movimento, mas a nave na verdade não estaria se movendo. Por conta disso, é possível parar esse efeito e recomeçá-lo com bastante precisão. Ou seja, calculando rotas com exatidão, você poderia alcançar qualquer planeta do nosso Sistema Solar sem acabar sendo sugado pela gravidade, podendo se posicionar em locais apropriados.

Experimentos

Depois de apresentar seu novo modelo de dobra espacial, White agora se ocupa em recriar miniaturas do seu motor a fim de comprovar sua teoria. Para isso, lasers estão sendo utilizados para recriar condições do espaço a fim de testar a capacidade dos protótipos.

White explica ainda que está realizando testes com um anel de capacitores de cerâmica, a fim de simular o efeito do anel em volta do esferoide original. Caso tudo corra bem, a NASA poderá recriar o equipamento em tamanho real em alguns anos, talvez décadas.